Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2008

Mossoró Cidade Junina é show!? Doido é quem acredita!

Hoje o jornal Correio da Tarde, na sua página de opinião, afirmou que "mesmo com a turma do contra, São-joão de Mossoró é show".

A princípio, o texto pareceu-me mais uma tentativa de esconder a real situação da segurança do evento, enquanto defende-se de acusações de Sandra Rosado, que teria criticado o evento nos seus meios de comunicação.

Tentar defender o evento é aceitável, mas dizer que "é show" é a mesma coisa que chamar o povo de burro. O autor do texto defendeu o evento de Fafá Rosado, dizendo que contabiliza bons resultados, que são:

1) Lucro dos barraqueiros, mais ou menos uns 21 deles.
2) Notícia no Jornal Nacional ( grande coisa!)

Discordo dele pois:

1) Não importa o lucro de quem quer que seja: três mortes e vários feridos não compensam isso. Não há dinheiro que compre a tranquilidade que o povo tanto deseja.
2) Não importa notícia positiva no Jornal Nacional, o povo sabe que é diferente. Antes, quando não tínhamos chuva de bala da bandidagem em cima dos cida…

Em defesa de Dunga, ou mais ou menos isso

Demorei um pouco para escrever sobre isso. O jogo foi anteontem, mas lá vai:

Segundo enquete do portal UOL, 84% dos votantes achou correta a atitude da torcida mineira - durante o jogo entre Brasil e Argentina (0 x 0) - que chamou o técnico brasileiro Dunga de burro e jumento.

Acho injusto chamar Dunga de jumento. Pelo menos não por empatar com o timaço argentino. Não é à toa que somos rivais. Bem pior é perder para o Paraguiai e para a Vanezuela – ambos por 2 a 0. Isso sim é ruim. Mas a culpa é só dele?

Tenho dúvidas se esse torcedor é realmente argentino. Saiu no portal UOL uma informação dizendo que era um torcedor argentino fazendo uma graça.


Na verdade, Dunga – juntamente com os jogadores (é bom lembrar disso) – conseguiu um empate com o seu maior rival, coisa que está longe de ser um desastre. Eu, pessoalmente, pensei que iríamos perder. Mesmo que o povo o chame de jumento, é indiscutível que o resultado foi melhor do que nos últimos dois jogos, quando perdeu para duas seleções de p…

Fenômeno Miguel Mossoró, o temor dos poderosos

Nestor Burlamaqui

Este texto é dirigido para aquelas pessoas que ainda não compreendem ou insistem em combater fenômenos políticos do tipo Miguel Mossoró, que em 2004 – apesar de apresentar propostas fantásticas e uma postura brincalhona - alcançou um inédito e expressivo terceiro lugar nas eleições para a prefeitura de Natal/RN, deixando candidatos como Fátima Bezerra (PT) e Ney Lopes(PFL) para trás.

Na última sexta-feira(13/06), li um artigo chamado “Recado aos jovens de espírito”, publicado no mesmo dia, na Gazeta do Oeste. De uma forma geral, o texto defende uma postura séria dos jovens frente ao poder do voto. Indica uma fuga da realidade por parte dessas pessoas, que votam em candidatos supostamente desqualificados e com promessas fantásticas: pontes que cruzam oceanos, leite encanado para a população etc.

Eu entendi que o artigo reflete uma opinião em defesa dos atuais donos do poder político, que desejam evitar coisa semelhante ao que ocorreu em 2004 nas próximas eleições. Naquel…

Mossoró Cidade Junina: doido é quem vai

É verdade que o evento Mossoró Cidade Junina já nasceu com fama ruim. Mas é comum um evento possuir essa fama ao ser aberto ao público, sem filtros. Entra todo mundo. Qualquer um. Não adianta colocar uma placa "Proibida entrada de bandidos". Entram todos os mau elementos da sociedade mossoroense: vândalos, assaltantes, traficantes, ladrões e assassinos. Definitivamente, tornou-se uma festa da bandidagem. No início era uma festa para todos. Ou pelo menos – com esforço – ainda poderíamos ter essa ilusão. Quando digo festa, evoco a palavra em seu sentido mais puro: onde o povo vai para realmente se divertir; esquecer os problemas; e não para ir atrás de problemas; não para se preocupar com roubo de veículos, brigas, facadas e balas perdidas. A ilusão acabou. Tornou-se insustentável.

Hoje vemos como as autoridades locais vieram investindo – ao longo dos anos – milhões de reais num evento que não trás nenhum benefício real para Mossoró. Apenas preocupação. O simples fato de dar ma…

Eu acho é pouco!!! - parte 2

Prossigo com a morte do bandido na delegacia de Mossoró. Percebi que é um assunto bem polêmico. Por isso, estou escrevendo aqui novamente para esclarecer alguns pontos do último texto desse blog.

O objetivo daquele texto foi mostrar que o povo está cansado da violência. O governo não dá conta da situação e, mesmo que alguns achem errado matar um assassino pelo fato de ele ser assassino, o povo não enxerga outra punição melhor para esse tipo de gente. Resumindo, a
população está ficando inerte perante o sistema social falho, que dá condições para essas pessoas agirem dessa forma, e ainda contarem com a proteção de suas vidas, garantidas pela lei.

Isso é obviamente injusto. O povo pensa, com toda razão: "Se o bandido mata e ainda escapa ileso, isso está errado. Deve ser corrigido". É por isso que existe pena de morte em alguns países. A lei do "olho por olho, dente por dente" não está tão ultrapassada assim. Pessoalmente, a considero uma das mais justas possíveis. Matou…

Eu acho é pouco!

Passando por cima dos hipócritas de plantão e dos defensores daqueles que praticam atos evidentemente inumanos, a gigantesca maioria dos brasileiros adora ver um bandido se dar mal. É verdade. Não adianta fingir que é diferente. É algo que deve ser admitido por todos, em todos os cantos do país. É muito bom saber que um pilantra "se ferrou".E não é difícil perceber isso, caro leitor. Basta sair por aí perguntando aos seus amigos e colegas sobre o que eles acharam da morte do assaltante preso, morto recentemente numa delegacia de Mossoró. O coitadinho do assaltante apenas invadiu uma casa, fez uma família de refém e ainda matou um policial. Será que é preciso ser muito inteligente para perceber que um indivíduo desses só oferece mal ao mundo? Um rapaz desses não faz bem a ninguém. Nem a ele mesmo. Coitadinhos como esse não passam de um verdadeiro detrito social. Mas ainda existe quem defenda esse povo. Realmente, nesse nosso mundo tem gente de todo tipo.

Dizem que tudo é culpa…